terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

"... o estado natural do puro despertar"

“Quando os pensamentos passados cessaram e os pensamentos futuros ainda não surgiram, no intervalo, não há aí uma percepção do presente, uma frescura clara, desperta, nua, que jamais mudou, minimamente que fosse? Eis, isso é o estado natural do puro despertar"

- Dudjom Rinpoche, Extraire la Quintessence de la Réalisation, Laugeral, Éditions Padmakara, 2005, p.17.

4 comentários:

Pan-Dora disse...

Aparentemente, o intervalo pressupõe a existência real de, pelo menos, duas fachadas, adensando-se como vazio entre uma e outra. Por isso, o intervalo de que falamos é virtual. E porquê? Sendo que o passado deixou de existir e o futuro ainda não existe, o intervalo fica impossibilitado de ser um meio de ausência, resgatando-se como ausência circundante desse meio. Assim sendo, o intervalo é remetido para as pontas da existência, isto é, da não-existência (o que deixou de ser, o que ainda há-de ser). Se considerarmos o tempo linear (princípio e fim), o intervalo não existiu, nem existirá, isto é, existe como rótulo do que não existe (passado/futuro). Se considerarmos o tempo circular, o intervalo é a tranca da existência (do presente) empurrando-a para o meio real (o espaço que lhe era consagrado virtualmente) como que uma pulseira exibindo a sua única jóia, uma jóia oca e falsa - a realidade - uma vez que, também pelo seu meio passa o intervalo, essência de tudo ser em suspensão.

Ah! Ah!

MeTheOros disse...

O ponto é que a graça não tem graça.
Porque, precisamente, é de graça. Isto é, sem porquê.

"E porquê?" (cito Dora-Pan, perguntante)

E (re)cito aqui:

"Há um grande perigo em mim; pois quem não compreenda estas runas cometerá um grande erro.
Cairá no buraco chamado Porque, e lá perecerá com os cães da Razão.
Seja, pois,lançada maldição sobre o Porque e a sua parentela!
E seja o Porque amaldiçoado para sempre!
Se a Vontade pára e grita Por que, invocando Porque, então a Vontade fica paralisada, e nada consegue fazer.
Se o Poder pergunta Porquê, então é fraqueza o Poder.
Também a Razão é uma mentira; pois há nela um factor infinito e desconhecido; e todas as suas palavras são artifícios.
Basta de Porque! Seja ele danado para um cão!"
(Aleister Crowley, "Liber AL vel Legis", II, 27 -33)


(Ah, ah?!)

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Energia Matriz Divina disse...

Sim, faz parte do estado natural do puro despertar. É o estar na Aqui e no Agora. Mas é condição necessária, mas não suficiente, para o desiderato da mudança de ERA em que estamos! Tem duas hipóteses, ou se deixa penetrar, ou desloça a sua consciência, e vai e sente o que quizer. Se ester sincronizado com O Amor Universal(feminino e masculino), terá acesso ao Intase e ao Extase. Mas se estiver conectado, com outra energia que não a do Amor Universal, conectará egrégoras da matriz terrena, que não são o UNO. E isso não é o Despertar de todos os grandes Mestres, Cristo, Buda, Momé, etc...