terça-feira, 8 de junho de 2010

A universalidade da experiência mística

"[...] a experiência mística de todos os séculos, de todos os países e de todas as religiões demonstra que o auge do sentimento religioso consiste numa fusão entre objecto do culto e sujeito do culto, num transformar-se o amador na coisa amada, num aparecimento da unidade perfeita onde a dualidade existia. Para um observador de fora, um homem intrinsecamente religioso, em perpétuo êxtase religioso, poderia dar a impressão de não estar prestando nenhum culto a nenhum Deus e, na vida prática, esse homem comportar-se-ia com a alegria, a espontaneidade, o desprendimento do selvagem, sem que também fosse necessário, fatal, o aparecimento de qualquer espécie de rito: esse homem teria reconhecido Deus em si e nos outros e viveria, naturalmente, sem tu e sem eu, de igual para igual, num universo inteiramente divino"

– Agostinho da Silva, A Comédia Latina [1952], in Estudos sobre Cultura Clássica, p.305.

1 comentário:

Dual disse...

Esta surf entre 'blogs e aqui estou eu saudação
Gio.
http://remenberphoto.blogspot.com/