quarta-feira, 11 de julho de 2012

O objectivo do verdadeiro político [...] é tornar a política desnecessária, e cada vez mais necessária a arte"

"O fim, em meu entender, é instaurar uma sociedade em que tudo seja arte, e nada seja política. O objectivo do verdadeiro político (se não estou em erro) é tornar a política desnecessária, e cada vez mais necessária a arte" - António Sérgio

1 comentário:

F.W. disse...

Cá do alto, entendo que a arte não passa de um olhar inorgânico sobre coisas. Sendo que nós não somos nós por ausência do “eu” (amplamente explicado na minha primeira intervenção), a arte é o olhar de um não-sujeito sobre um não-ser sem linha de ação que não a de uma caótica e clonada estética em autónoma reprodução da costela de Adão, num esforço de nascimento obsessivamente compulsivo, como se precisasse de se desdobrar continuamente para provar a sua existência. Em vão. A arte não pode salvar porque recicla a morte. Deve ser expulsa do Éden! Por um verdadeiro político… Se possível, o Criador do céu e da terra.

FW in “A garrafa de Klein”, pág. (– 2)