quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Escrevemos para que mais resplenda o branco do ser e da página. Escrevemos para que mais se desnude o sem porquê nem para quê.

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.