terça-feira, 27 de outubro de 2009

A Razão é outra e é Louca

- António Maria Lisboa

4 comentários:

Donis de Frol Guilhade disse...

A razão, como motivo, é quase criminosa: é disso que é feita quase toda a criminologia.
A razão, como fundamento, é antípoda de si mesma.

Excelente post.

Paulo Borges disse...

A própria razão é sem razão, "sem porquê", o "ohne warum" da mística germânica. Pretendendo a tudo fundamentar, não se funda, a-funda-se.

Maria Sarmento disse...

"A Razão é outra e é Louca"...
Martela-se(me) essa frase no centro da "roda de pensar" que, sem corda e sem fundamento, se "a-funda" na sua mesma "vertigem" do pensar.

"A razão é outra e é Louca!"
Outro motivo de rir, mesmo que só para dentro, como quem silencia...
a própria sem-razão.

Sorrio sem porquê.

Donis de Frol Guilhade disse...

Que belo sorriso, o seu, Maria.
Sorriu-se-me.

Aceno.
Porque sim.(risos)

Ao Paulo não aceno. Porque não.
Ele é um aceno.