terça-feira, 27 de outubro de 2009

"Cosmo a cosmo, nascemos em cada coisa" - Maria Bueno


na brisa o que a leva
silêncio que fica
tudo flore e fenece 




2 comentários:

Maria Sarmento disse...

...

"No necessitas palavras..."

Que essa corrente vital que a tudo respira me leve como a brisa: vazia, plena, leve, silenciosa, aberta, flutuante; bela como um rio subterrâneo correndo silente; ágil como a corça saltando no bosque luminoso; nascida a cada coisa como nova e fenecida flor...

Bela como cisne deslizando na corrente, silente como a brisa visitada pelo orvalho; desaparecida como um olhar; rara como a branca flor da montanha azul.

Imensamente grata por esta des-razão que me afunda e me esquece...

Um sorriso desfeito em som: flauta chegada em luz a um jardim suspenso do olhar.

Só luz de Luz...
"Amen"

Donis de Frol Guilhade disse...

.
.


... : ...


.
.