terça-feira, 23 de agosto de 2011

"O que procuramos será real?"



“O que procuramos será real? Ou será o impossível / fruto do desejo sempre latente e indefinível?” – António Ramos Rosa

Talvez o que procuramos seja real, mas não a procura, nem o que julgamos procurar, nem quem procura, nem o que consideramos ser “real”. Talvez tudo isto seja sim “o impossível fruto do desejo sempre latente e indefinível”, isso que sempre se distancia do que busca por imaginar carecer do que em si superabunda.

3 comentários:

Ferro Velho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Borges disse...

Mas quem é que precisa de algo?

MeTheOros disse...

Realmente...!!!?

Procurar(-se), encontrar(-se) e perder(-se) são coisas indissociáveis. São de facto indestrinçáveis.

E o i-real...?
É menos "real!", apenas por ser menos "verosímil"?

O algo é alguma coisa, ou é apenas o não coisa nenhuma?