quinta-feira, 3 de março de 2011

Imagens dos lançamentos, em Tondela e Lisboa, do livro "O Solar de Santana, Museu Municipal e a Arquitectura Senhorial da Região", de Inês do Carmo Borges, historiadora de Arte, colaboradora da revista Cultura Entre Culturas, respectivamente nos passados dias 6 e 26 de Fevereiro.

(da esq. para a direita)  
A autora, Drª Inês do Carmo Borges, o Prof.Dr.Antº Filipe Pimentel, director do Museu de Arte Antiga, um membro da família dos antigos proprietários do Solar de Santana e o Dr. Jorge Fragoso, responsável da Editora Palimage.

 Uma panorâmica da assistência, no auditório do Centro Cultural de Tondela.

A autora, autografando a obra.


Lançamento em Lisboa (da esq para a direita)
O jovem presidente da Junta de Freguesia de Campolide, a autora, Prof. António Pimentel 
e um membro da família dos antigos proprietários e membros do Solar e o editor, Dr. Jorge Fragoso, responsável da Edtª Palimage.

Uma perspectiva da assistência no auditório do centro multiusos 
da Junta de Freguesia de Campolide.


A autora, Drª. Inês do Carmo Borges.


A autora

6 comentários:

Donis de Frol Guilhade disse...

Parabéns à Inês Borges, por esta sua obra, fruto de um tão brilhante trabalho de investigação, rigoroso e exemplar, levando a cabo um minucioso e incansável levantamento histórico da existência secular do Solar de Santana, bem como do seu enquadramento social no contexto da região, nas diversas épocas que atravessou, como importante nicho de homens ilustres da Cultura e do ensino, e verdadeiro ninho de homens bons.


Um abraço, de profunda admiração, à Inês.
E um beijo de amizade.
Com os melhores votos.

Paulo Borges disse...

Associo-me aos parabéns, lamentando não ter podido estar presente.

MeTheOros disse...

Também lá fui, a convite do poetinha Donis & Etc, lavrador da prosa encomiante acima.

Gostei das alocuções, nada chatinhas, como é de tom nestas coisas, e gostei do ambiente em obras, e de obra já feita, de um jovem e promissor presidente de Junta. Sangue novo e na guelra: assim é que é!

Gostei menos do cheiro a tinta, se bem que tenha sido usado como argumento a propósito.
Fiquei sem saber é se seria tinta Robbialac ou Rembrandt?

As cadeiras eram confortáveis: ma non troppo! Ninguém conseguiu adormecer, por isso: nem as velhinhas cochichantes atrás de mim - devem ter confundido o auditório com o salão paroquial, na hora do terço.Ainda que não fosse terça, mas sábado. :))

Um beijo, Inês!
Parabéns.

Isabel Metello disse...

Muitos parabéns, Inês! Um abraço

MUSICA ESCARLATE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MUSICA ESCARLATE disse...

Donis de Frol Guilhade, carissimo poeta e especial amigo, muitissimo obrigado pelas tuas palavras sempre gentis e pela divulgação dos lançamentos, em Tondela a 16 e em Lisboa a 26 de Fevereiro, deste livro sobre Arte, Museologia, Urbanismo, Arquitectura, Empreendedorismo...
Paulo, MeTheOros e Isabel Metello, grata pela vossa atenção e simpatia;))

Um abraço "Entre" na "Cultura Entre Culturas", que nos une a todos como teia profunda universal;))

Inês C.C. Borges