sábado, 27 de fevereiro de 2010

"O tempo é a substância de que sou feito"



(Jorge Luís Borges, 1951, por Grete Stern)

"O tempo é a substância de que sou feito. O tempo é um rio que me arrasta, mas eu sou o rio; é um tigre que me destroça, mas eu sou o tigre; é um fogo que me consome, mas eu sou o fogo"

- Jorge Luís Borges, "Nova Refutação do Tempo", Obras Completas, II, p.144.

2 comentários:

Isabel disse...

pronto...descobri por que razão não gosto de mim, é de ter tanto tempo cá dentro. Eu e o tempo...tenho que o expulsar,me expulsar de mim mesma;expulsar, portanto, o que transcorre, o que fere, o que me consome...para me ver livre de mim, e num instante, do tempo. Que alegria...!

Um sorriso ao amigo

Paulo Borges disse...

Isabel, creio que a melhor forma de nos libertarmos do que quer que seja é fazermos corpo com isso, sermos isso ainda mais plenamente, até não haver lugar para que tal nos oprima...

Sorriso num dia de chuva