sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Grita por dentro das palavras
Expulsa a noite da tua pele,
Mas não te esqueças que na casa do silêncio\solidão
Tu és o irmão do meio

1 comentário:

Maria Sarmento disse...

Gostei da força sugestiva destas centrípetas e centrígufas espirais de silêncio e de sentido.
Poema concentrado e "carregado" de plenitude.

Muito belo, o texto.