sábado, 22 de janeiro de 2011

"De todas as coisas que fiz, numa vida comprida como a minha, a melhor foi fazer amor, [...] porque através de um corpo está todo o universo"



- Da esquerda para a direita: Délio Vargas, Artur do Cruzeiro Seixas, Paulo Borges, Alexandre Vargas e António Cândido Franco.

"De todas as coisas que fiz, numa vida comprida como a minha, a melhor foi fazer amor, fazer amor com pessoas, tocar com as mãos um corpo, porque através de um corpo está todo o universo. Isso é o mais importante, muito mais do que a pintura, a arte, os intelectuais, os livros, essas coisas todas" - Artur do Cruzeiro Seixas (citação de memória), no final de um video ontem projectado no Botequim da Graça, na apresentação do livro de António Cândido Franco, Teixeira de Pascoaes nas palavras do surrealismo em português.

Uma noite histórica, acima documentada, com a presença do próprio Cruzeiro Seixas, que será entrevistado e publicará obras suas no nº4 da Cultura ENTRE Culturas.

2 comentários:

Maria Sarmento disse...

Amigo Paulo,

Que maravilha de grupo!
Amigo de meus Amigos: o Délio (que bom revê-lo aqui, sem Lisboa não está bem...) o Cândido...
Memórias da Barata Salgueiro, sotão onde aonteciam os mais altos voos de surrealismo e do Amor. Sim!
A Vera, o Jorge, o "Rock & Roll"... e tantos... O "Fredy King"... o Alexandre... e outros tantos "espíritos da minha geração". Aí a arte e a vida eram os do toque fraterno e da plena comunhão e partilha da "pobreza" e da criatividade activa. Aí, o chão era a melhor almofada... e, enquanto houvesse um lugar para mais um dos espíritos errantes e vagabundos das praças, e os loucos, artistas e fala-sós, aí eram bem vindos em roda de paz que ainda hoje me habita. Éramos generosos e tudo acabava em música, poesia e míudinhos traços de filigrana, naquela técnica que o Délio criou de expandir mundos pela mão. Aí vivi. convivi. Feliz.
Grata por me lembrar de alguns deles, aqui. José Carlos Raposo... Tamagliani... enfim...
Porque através do corpo está todo o universo e do riso, também. Pura Alegria!

Um abraço.

P.S. Gostava de lá ter estado, nesse "Botequim de saudade" nessa automática esperança!

Paulo Borges disse...

Amiga Maria, também conheci e frequentei, embora fugazmente, a Barata Salgueiro!...

Ontem foi uma grande noite!

Um abraço