terça-feira, 31 de agosto de 2010

corpo e cidade


o corpo entregue à cidade
estreia a cada instante sensações abertas
de luz e sombra e ruas conjugadas pelo sol
poeira e fumaça

o corpo continente
treme de asfalto e trânsito
em um desejo de encontro
e águas secretas

fora de alcance, ele sabe
leitos de pensamento
clareiras de silêncio

outras estâncias
e o mar invade aos poucos
a praia da memória

1 comentário:

Leonardo B. disse...

[um traço de globo terrestre dentro dum pouco de mundo: grande a letra que o compõem]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.