segunda-feira, 3 de maio de 2021

Gestos & Fragmentos - Ensaio sobre os militares e o poder - EDUARDO LOURENÇO

"Gestos & Fragmentos - Ensaio sobre os militares e o poder"
De Alberto Seixas Santos, com Otelo Saraiva de Carvalho, EDUARDO LOURENÇO, Robert Kramer, Portugal, 1982 – 90 min.
“(…) Gestos & Fragmentos [é] a mais poderosa figura de luto que nos ficou da Revolução de Abril. O filme assenta em três entrevistas: uma com Otelo Saraiva de Carvalho, o estratega do 25 de Abril, que evoluiu vertiginosamente, nos anos 74-75 dum socialismo moderado para a extrema esquerda mas radical; outra com Robert Kramer, o cineasta norte-americano que vivera em Portugal esses anos, ao lado dos grupos mais extremistas; a terceira com Eduardo Lourenço, o nosso intelectual de maior prestígio que sempre se distanciou de compromissos políticos ou de análises esquerdistas. Seixas Santos jogou subtilmente com as contradições de cada um deles (décor burguês da casa em que Otelo ainda faz inflamados discursos, a paisagem rural da aldeia natal de Eduardo Lourenço, os ícones da esquerda sobrepondo-se à raiva de Robert Kramer e sublinhando-lhe a estraneidade) e com a contradição abissal de todos aqueles gestos, uns como outros inscritos numa sublinhada nostalgia. [Com Brandos Costumes, este filme é] o mais denso retrato fílmico que nos ficou dos anos 70 portugueses (…)” (João Bénard da Costa in Alberto Seixas Santos, Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, 2016).

domingo, 11 de abril de 2021

"VOZES DO PENSAMENTO" e o "25 de Abril", por Isabel Rosete

 
Minhas Senhoras e meus Senhores,
Desculpem a minha ignorância: iremos comemorar que/qual "25 de Abril", face ao estado nacional vigente?
- Os discursos demagógicos repetidos, ano após ano?; - as paradas militares sempre iguais a si mesmas, tais como as pompas e as circunstâncias?; - a farsa da "Democracia"?; A erosão da “ Democracia”?; - a injustiça dos mega-processos-crime mediáticos?; - a desigualdade abissal entre as classes sociais?; - a pobreza dos muitos pobres e a riqueza dos poucos ricos?; - o desemprego crescente?; - a retirada dos direitos dos que trabalham, depois de terem sido adquiridos?; - a crise sanitária, económica, social, cultural e educacional?; - os cravos já murchos e sem cor?; - as recordações das promessas não cumpridas?; - o declínio visível do Povo português?; - a ausência da noção de "Pátria" que não é "Mátria"?
Se assim for, eu não comemorarei o "25 de Abril"! Não nos alimentados nem crescemos à sombra de símbolos!
Isabel Rosete

quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

ESTUDO GERAL
dez./jan.    2020           Nº119

«No Canto IX dos Lusíadas, Ilha dos Amores, «Camões dá este conselho pedagógico aos portugueses: os meus amigos, se querem alcançar o Céu na terra, tratem do seu navio, mantendo-o em ordem, com disciplina a bordo, porque um dia a Ilha dos Amores aparece». - Agostinho da Silva

Sumário

1.    Editorial


canalização

infografia

graffitar a literatura

estórias

real…irreal…surreal

diarística
 

---------------------------------Fim de Sumário----------------------------------